domingo, 8 de maio de 2016

Cá entre nós

Cá entre nós
entre o aleatório que convém
e os pés no chão de outro mundo
há palavras que fluem

dos teus lábios eruditos
tuas flores, minhas dores
a inteligência lasciva
a fé que está viva

Que o abstrato palpável
do cheiro, do gosto que sinto
quando sinto que não sei sentir

de longe vejo luzir
o brilho do teu luar
cá entre nós


Nenhum comentário:

Postar um comentário